domingo, 20 de agosto de 2017

Lua do Lobo, Irmandade da Cruz

Conseguia ver a erva pisada por onde teriam passado. Seria fácil segui-los, tinham deixado um rasto muito visível. Além de que aqui e acolá conseguia vislumbrar manchas de sangue. A paisagem era muito diferente daquela por onde tinham passado nessa noite dentro do parque da Pena, ali as árvores eram mais cerradas com copas mais frondosas e não se conseguia ver nem nuvens, nem estrelas no céu. Ali a escuridão era diferente. Já não sabia se tinha feito bem seguir por aquele caminho. Em todas as histórias de que se começava a lembrar, a personagem curiosa nunca acabava bem.


Lua do Lobo, Irmandade da Cruz

Entrevista Jornal Regional Área Oeste, 19 Outubro 2015

“Sonhar é maravilhoso e sem limites”
MBarreto Condado


Lua do Lobo, Irmandade da Cruz

Sorriu satisfeito, vira-os quando voltavam entrando através da segunda porta, um deles parecera-lhe morto. O que não deixava de ser interessante. Tinha que dar os parabéns ao dono de tamanha façanha. E agora até os seus preciosos lobos os abandonavam. Nunca tinha visto tal coisa parecia que finalmente tudo se começava a compor. Deveria ter sido ele e não o imbecil do Arkadius a liderá-los. Mas esse dia chegaria e com ele a sua vingança. Nesse dia faria questão de trocar a pele que transportava ao pescoço. Usaria a pele de todos eles. Urrou satisfeito.


Lua do Lobo, Irmandade da Cruz

sábado, 19 de agosto de 2017

Lua do Lobo, Irmandade da Cruz

Continuou a tactear à volta tentando encontrar alguma espécie de passagem secreta, mas a rocha era sólida. Já pensava desistir quando a sua mão tocou numa espécie de maçaneta, aquilo não devia estar ali. Parecia o manípulo de uma porta. Apertou-o rodando-o no preciso momento em que a parede se moveu, afastando-se para o lado e permitindo a passagem.


Lua do Lobo, Irmandade da Cruz

Entrevista blog Bloco Devaneios, 12 Julho 2015

“Sou uma personagem no livro de alguém cujo fim ainda não foi escrito”
MBarreto Condado


Lua do Lobo, Irmandade da Cruz

Olhou para o seu lobo e fez-lhe sinal para que os acompanhasse, até à passagem teria proteção redobrada. Começou a correr seguida de perto pelos dois guardiões. Sentia que a vida de Heinz e a felicidade da amiga dependiam da sua rapidez.


Lua do Lobo, Irmandade da Cruz

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Yggdrasil, Profecia do Sangue

“O carro percorria a distância que separava Dublin de Glendalough por entre o verde das montanhas, os imensos campos de turfa e o tão tradicional meio rural pejado de ovelhas pastando livremente.

Ali o passado e o presente continuavam a misturar-se.”